25/10/2006

Invocação do amigo imaginário

Innocence (Jean-Claude Gaugy)


– Que-foi-quem-é? Por quê? Uai. Pára de falar meu nome. Pára de cutucar. Que foi, hein? Espera. É o Junim. Fica chamando mas não diz. Que foi, Buiú: você também? Me deixa em paz! Dá sossego, Níkias. Vou brincar agora não. Posso não. Pára de cutucar! Quero não. Já o disse. Sai fora. Que é, Nandinho? Amola não! Escuta aqui! An? Funciona assim. Furou quem? É. Claro. Cuidado! Chute. Forte! Isso. Goooooool. Vá lá. Isso. Legal. Maneiro. Atari. Enduro. Que é, Lucca? Ann? Humm. De jeito maneira! Vá se. Olha, rapaz! Aí, ó! Isso. Doido pra caramba. Dudu? Sei. Fale baixo! Tira a mão daí, rapá! Guarda isso, cara! Alá-alá-alá. Oi, Débora! Hahã. Uai. Aqui-assim? Aqui-assim-então! Solta minha mão, anda! Não ponho a mão em boneca não. Cabelo, hein?! Estranho isso molhado-quente. O dedinho-um-dedo-só? Assim? Certo. Ai, desculpa! Foi mal. Eeeeeeee. Porque quero cheirar o dedo, ora. Ah tá. É? Olha. Hahã. Nusga! Mais baixo, mais baixo! Quase-quase. Dois agora, viu?! Ué: só você aqui? Esfrega-assim-gostoso-põe. Que que tem a unha? Suja, nada. Tsc-tsc-tsc: língua? Neim. Ué-como? Pequena é a sua imaginação. Pára de me chamar de papai.

9 comentários:

Paola Vannucci disse...

onde vai parar isso

rsrsrsrssrsrsrsr

Paulo disse...

sabe como as antas vão ler isso:

sem ler.

umas vacas.


prefiro os amigos imaginários
e as putas reais.

beijos.

( venda esse texto como profile ou dedicatória acadêmica de algo sobre a neurastenia Orkutíca)

°
Isso vai parar no seu cu, Paola.

º

Gi disse...

Parou na língua?

Cássio Amaral disse...

meu amigo imaginário é um encosto q pego, um espírito muito louco, q depois de três copos me alucina...
minha alma anda querendo mudar para blue cara! aquelas merdas todas...o coração esfacelado.
a vontade de lavar o beco via Canadá! ou qualquer outro lugar. vou esfriar, preciso desacelerar, tenho feito uma meditação agora , peguei uns rituais e vou desenvolvê-los.

Cristiano Contreiras disse...

Tipicamente o cotidiano do vai-vem de sensações!

Joana Corrêa disse...

hãn? continua, vai?
pára não.


paulo castro e sua doçura, rs.
coitada da paola, pc.

beijos.

Ricardo Wagner disse...

Amigo imaginário em comum
ou
a mesma "inocência"
todos invocam
na idade hormonal?

Anônimo disse...

ei ei ei... (vou falar bem baixinho tá?).
o picolé da milkmone é muito melhor q o da kibon. Mas minha mãe dizia q era feito de água suja e o picoleteiro não lavava as unhas depois de fazer cocô. Mas o picolé da milkmone tinha sabor milho verde, nata e essas coisas e nunca a kibon fez um assim. Acho q a milkmone não existe mais, mas o teu texto me impusiona a buscar isso, bem como querer aprender sobre exportação.
Grande beijo gelado!
Patrícia Sacchet

Ana disse...

Uêpa! Édipo entre amigos, vale?