23/10/2009

Esboço do "Manual Prático do Terrorismo Ateu"

Nunca, em nenhum lapso da história encardida (e documentada) dessa lambuzada espécie, houve tamanha oportunidade para assumir-se ateu. E tal compromisso não se restringe ao ato de dizer-se, mas ao de começar a agir. Peroro em tom de candidato a presidente de DCE intencionalmente. É a ocasião adequada para sair do armário e quebrá-lo a fim de anular o retorno. O hype (leia-se "coletivo para grunhidos neopentecostais") no Twitter: o ateísmo é mais uma outra religião. Os ateus tornaram-se mais intolerantes que os religiosos e nhenhenhem.



[respira]

Tente pensar por outra via. Use a inteligência alternativa. De medida para medida, a pretensa doutrinação atéia demonstra-se razoável, diplomaticamente pífia, pois há quanto tempo religiosos das mais variadas estirpes massacram a humanidade e extirpam a concorrência, digo, ateus? Até parece que há um templo ateu, um canal de tv ateu, novelas atéias, programas, passeatas, impressos, ongues, disciplinas atéias inclusas na grade curricular das crianças, ateus lavagencerebralizados a abordar transeuntes e distribuir-lhes panfletos. Quando chiam que estamos diante duma iminente ditadura atéia, essa cena tragidramática é exibida na minha cachola. Exagerada, mas concreta quando invertida sua polaridade e devidamente cristianizada. E a afronta dispensa sutileza, pois deve recair principalmente sobre cristãos reformados, e nem preciso elucidar os porquês. Ah, vá. Ah, vão. Fff. Noobs.



[respira]

Os teístas (cristãos) pervertem aquilo que lhes deixa acuados. Impulso de bichanos amedrontados. Reação instintiva daqueles que se valem da desculpa mais obsoleta para se vangloriarem do ato mais covarde já visto: precisar de uma divindade para existir, justificar a própria existência e a morte. Desde que humanidade é gente e de que povo é massa, a religião tem controlado tudo por aqui. É tempo imemorável. Talvez tão antigo quanto a origem da matemática. Certamente mais antigo que a arte de grunhir, à qual Saramago reluta em aderir.



[respira]

Prove-me qual desgraça a sua religião não cometeu que lhe confesso a qual deus oro. É assim que a coisa deve funcionar: hoje, nesse momentinho bosta, pois desde incalculáveis ontens as religiões matam, e aqui tomo a acepção bruta e pragmática do verbete e a aplico a um leque histórico cuja dimensão pavoneia estaturas sobrenaturais. A religião mata.



[respira]

Ainda. Em pleno HOJE. E um dos motivos é: você, que é ateu acanhado, não sai do conforto do armário, por “n” motivos, claro. Qualquer analfabeto de espírito, bastando-lhe sã consciência e um clique no tempo, sabe o quão implacável e tenebrosa afiguram-se as conseqüências ensejadas por tal disposição. A religião legitima qualquer monstruosidade, inclusive assegura o direito de criar o seu monstro metafísico pessoal. Não só garante, fomenta! Vê beleza nisso. Mais que Mutarelli vendo a poesia em carne e osso em vermes devorando sua própria carcaça. A essência (não gosto desta palavra) da dignidade humana depende do amor irracional e imaturo duma invisível e improvável idiotice indelével.



[respira mais fundo]

Deus satanizou a hombridade humana. Note-se que aqui emprego a “blasfêmia” em sentido estritamente bíblico. Mas a religião escreveu a história. Definiu as regras. Rasurou todas as possibilidades de exegese, semântica, lógica e bom-senso. “Ah, mas você tá exagerando, tá de mimimi.” Mimimi é a mamamãe. Desde que humanidade é gente, religiões influenciam e determinam tudo, sobretudo o que não existe. Oficialmente, o ateísmo organizado (leia-se “descriminalizado”) data de pouquíssimo tempo. Você, religioso, temente ao seu personal imaginary friend, há milhares de séculos detém o direito de ir e vir. Tem-se a impressão de que você sempre controlou tudo. Ocorre que hoje, mais do que nunca, você perdeu o controle, inclusive sobre seu leal e dócil amigo. Chiar que ateísmo é (intolerante) como qualquer teísmo é afirmar que ambos sempre andaram LIVRE e EXPLICITAMENTE lado a lado. É ver ateus cercando transeuntes em par de igualdade, numa hipotética e freqüente disputa com os “demais” religiosos. Durante séculos, desde a era em que nem sequer a memória existia, você vem corroendo a paciência, empurrando goela abaixo o que deus lhe fala. Doe um pouco de sua preciosa atenção dedicada ao "Anônimo de Mil Patentes" e ouça o clamor de um reles bandido condenado à mesma "cela" em que incontestavelmente trancaram Chaplin e George Carlin. Falo contigo. Com todos. VOCÊS se encontram em uma igreja, templo, sinagoga ou terreiro... onde lhes aprouver. E os ateus, que se encontravam às ocultas nos becos da existência, disfarçados de clérigos?

A religiozice escreveu deus. Arriscado conjugar ATEU no plural, pois somente agora um ateu confesso ouve ecoar um “sou ateu” (um pouco aliviado), de outro ateu, que se sente à vontade, digo, menos desconfortável. Presumível reflexo pós-traumático de quem vem aceitando o debate, desde que o mesmo funde-se em MEUS valores, MEUS padrões, MEUS estereótipos. Vamos discutir religião, mas deixe-me incumbido do encargo de selecionar e afiar as lâminas. Aliás, permita-me definir o que é lâmina e o que é duelar. Tenho traquejo nisso. O quanto-como-onde-porquê. Deve. Deveria ser justamente o contrário. A história escreveu a religião. Mas não o é. O ateísmo é tão remoto quanto o sentimento apelativo ao extraordinário. Bem como qualquer outro animal, o ser humano NASCE ateu.

A ausência da idéia da existência necessária de um deus precede o esboço de qualquer outra idéia. O homem, em sua essência imaculada, não precisa de deus algum para caminhar. Saia do armário e o quebre. Sim. De posse da sanha clichê. E mande às favas o primeiro carcereiro de Cresus Jisto que lhe importunar, porque respeito a gente dá e esbanja a quem não desacata a própria cerebralidade. Até Augusto Cury, o Michael Jackson da auto-ajuda brazuca, reconhece o seguinte axioma: "a dúvida é o princípio da sabedoria." Assim sendo, orgulhe-se de ser ateu e comece a reescrever e rasurar essa longínqüa estória.

O nome de deus só vale a pena se pronunciado em vão. Seja panfletário. Confeccione camisetas estilo Che-PC-do-B-aboinado-arranca-suspiros e mande brasa. Se possível, mande bala. Crie frases lugares-comuns de impacto e em alto-relevo. CHOQUE empregadas domésticas Made in IURD. Distribua sua cartilha na porta de escolas, bancos, igrejas e delegacias de polícia. Ir preso nada! Não deixe o desânimo lhe abater. Aproveite para catequizar os detentos-camaradas-velhos-de-guerra. Crentes atuam é aí! Organize rebeliões. Desorganize caravanas rumo à Canção Nova. Piche muros. Piche andarilhos. Piche sua mãe, pois tenho certeza, a mesma que ela tem em deus, de que ela é católica. Passe trote na casa de pastores ou coisa parecida. Caso queira, sei o número do celular daquela mutação medonha resultante da cruza de Amado Batista com Fábio Jr: o padre Fábio de Melo. Que tal?

Prepare seu baseado com uma folha do Alcorão. Não contenha a sanha, não faça como aquele tal de Varg Vikernes que se contentou com atear fogo em igrejas. Reúna a galera e toque o movimento tocando fogo e fogando toco em sinagogas, mesquitas, orfanatos, creches, fazendinhas de recuperação de drogados e nhenhenhem e não poupe padarias: é lá que fabricam o corpo de Cristo. Moleste o padre de sua paróquia "em meu nome!" Piche mais uma vez o barraco da empregada doméstica batizada no fogo do Espírito Santo. Mije no fogo do Espírito Santo. Apague o pavio curto do homem-bomba. Tire o punhal escondido dentro do seu boneco do Fofão (eu sei que você tem um!), corte os pulsos e ofereça seu sangue a Richard Dawkins. Aeee. Bravo! É justamente isso o que eles MAIS TEMEM. Eis aí um ponto fraco de deus – se não o maior. Infle o peito, incorpore o romantismo viking de Johan Hegg e vocifere: "Eu sou ateu".

18 comentários:

Gookz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manoel Leonam disse...

Teístas pervertem a idéia da descrença em deus, traduzindo o "eu não acredito" como "eu acredito que há nada lá" e outras idéias do tipo. Transformam, assim, a descrença numa espécie de crença espelho de sua própria fé. Dessa forma, enquadram o pensamento ateu em seus esquemas de raciocínios espúrios.

A estrutura de raciocínio teísta nos é empurrada desde a tenra idade de tal forma que para muitos é difícil resistir a sedução de falácias e golpes escolásticos, que criam falsas aporias (como argumento da primeira causa ou do arquiteto do universo e outras heranças da lógica primitiva filtrada por pelo menos 1000 anos de cristianismo).

Como disse, quase toda força da argumentação religiosa (quando não se expressa na forma do solipsismo dos doidos varridos: "eu tive um encontro com deus") vem da repetição doutrinária desde a mais tenra idade.

Por isso, mantenham seus filhos o mais longe possível de toda e qualquer influencia de pessoas que acreditam em qualquer tipo de sobrenatural. Crença em deus é desvio de caráter. E, como a maioria dos desvios de caráter, suas raízes vêm desde a infância.

Manoel Leonam disse...

O final do meu comentário não saiu!
Ai vai:

[...]O que eu proponho é isso: Apartheid religioso. Não comemore festas religiosas, nunca use a palavras sagradas, a não ser como escárnio, ensine seus filhos a zombarem e desprezarem os teístas, não só cristãos, todos eles. Não preste ajuda, não dê emprego, não fale bem, nunca sente a mesa com ele. E principalmente, nunca entregue seus filho aos cuidados de um dele.

Agora sim.

Pablo Carranza disse...

Cara, vendo seu nome só me lembrei de Richard Wagner aquele compositor nazista. Apesar de ser anti-semita e fdp ele criava múscias espetaculares.
=P
Belo texto o seu! gostei do blog!

abcao!

André T. disse...

Cara, você é louco! (E aqui me lembro de como é chata essa gente que tudo o que vê, ouve, lê de diferente sai logo chamando de 'louco' pra não precisar se preocupar com nada do que o tal 'louco' esteja dizendo. Mas enfim. Estou devaneando.)

Gostei muito do blog. Divertidíssimo.

O fantástico Dr Godinho! disse...

sempre que me perguntam a religiao digo q sou ateu PRATICANTE. sou adepto do satanismo poetico. blasfemia eh amor, eh diversao... eh luz, eh verdade, eh vida!

Fábio disse...

Eu não percebi o preconceito contra ateus até me declarar como tal. por incrença que parivel o orkut censurou meu perfil por possuir um link de um video que apenas quase proporcionava a um padre cogitar a ideia de duvidar de sua fé quando lhe fiseram a seguinte pergunta: se adão e eva tiveram caim e abel e segundo a biblia deles viemos nós, como caim e abel tiveram filhos? sendo que a biblia condena tanto incesto entre filhos e mae quanto homosexualidade(o que não geraria nenhum descendente mais ajuda na polemica).O twitter tambem recente mente censurou o tag "NoGod". precisamos de mais ateus revelados em posse de poder, tanto donos de empresas quando na politica. Seria um "orgasmo ver um presidente eleito se declarar ateu em pleno discurso da vitória" que farão os teísta quando se virem sercados necessitando de serviços e sendo estes atenditos somente por ateus.
EU SOU ATEU

Gookz disse...

mostrar o texto pra minha mãe e ela disse que se eu não apagasse o comentário com certeza eu seria contratada pra recepcionista do inferno...
com certza, a vaga já sendo minha,vou me retratar tirando o ps...
hoje eu recebi um exemplo hilário de como o fanatismo religioso ultrapassa os limites da minha compreensão...
(só pra esclarecer eu não sou ateu)
vejo escrito em portas de banheiro, em ônibus,muros e coisa e tal,mas na minha carteira foi a primeira vez...
tinha em caixa alta e bom som o seguinte dizer:
SÓ JESUS SALVA!!!
contraditório é que se ele salva,eu nao preciso nem merecer ne?
Ele é bom e sendo bom vai me salvar mesmo que eu esteja fantasiando uma rapidinha com meu professor depois do horário...
Isso tambem seria falta de consideração com as puritanas que fazem serviçoe voluntário e se guardam pro casamento,imagina eu no céu junto com elas?
sim,porque se ele salva e não faz distinçao de pessoas ele tem que com seu poder salvar a todos, tantos as beatas como eu,ou não?
(acho que fez toda diferença agora)!!!

julia disse...

a parte do estupro eu, sinceramente, não gostei. mas o mais: espetacular seu manifesto. me alivia.

Luciano Henrique disse...

Nunca fiquei tão chocado na minha vida! Vocês são uns dementes imorais!

Ricardo Wagner Alves Borges disse...

Nunca fiquei tão chocado na minha vida! Vocês são uns dementes imorais! [2]

Felipe Marques disse...

teísmo fundamentalista total

fire!!!

Daninjutsu disse...

fundamentalismo é outra mentira, e também a fúria e o ódio são destrutivos e se você não acredita em uma figura superior para recorrer em busca de redenção você é pior que qualquer muçulmano tosco.
apesar do texto ter sido mais motivacional que instrutivo, o ideal é legal mas o método deixa a desejar por sua violência intelectual. pois n se obriga as pessoas a serem e sim se convençe e de maneira razoavel e racional pois a educação é o método por exelência da idealização
e quando este n o é argumentativo e usa de recursos impresseonistas desvalida a dissertação

e eu sou deísta

Anônimo disse...

vc nunca repararam na vida de vcs.estao pressos em vicios,enquanto os q acreditam em deus estao passando vcs.e olha q eu nem conheso vc.seu vicio esta de deixando maluco nao?

Ricardo Wagner Alves Borges disse...

Vítimas da literalidade FEELINGS!

Anônimo disse...

Vcs são loukos com medo da própria natureza humana.... naum acredito em nda disso...a minha vida sei q devo a Deus.....e sbr o motivo deu estar vivo(a) jah me basta...e sair desse mundo tenebroso e assombrado por forças malignas eh a minha esperança, e ainda poder conhecer DEUS O AUTOR DA CRIAÇÃO será um privilégio...enqnto vcs se naum se arrependerem estaram ardendo no fogo do inferno e lembrando de tdas as blasfêmias q realizaram durante a vidinha mediocre e obscura de vcs..fuck you seus pervertidos e egoistas...eh pra flar o q axa a respeito entaum esse eh meu recado pra tdos vcs...

Pri disse...

Ah, Ri, você sabe o quanto eu adoro este texto teu. Publicado no grupo "Ateísmo e religião" no FB hoje. Vamos ver no que dá.
;)

Anônimo disse...

Tem gente que é incapaz de entender o sarcasmo nem quando ele dança nu diante de seus olhos...