02/04/2009

Paciência

“Baixinho...” (o celular toca). Alô. Oi. Cuméquivai, sumidão? Agora não, tô ocupado aqui com a composição dum personagem. Falô, schau! “...gorducho...” (o telefone toca de novo). Merda! A cobrar?! Tender não. Pff. “...misantropo e...” (o cedê começa a a a a a, tá arranhado). "... ..." Pernilongo. "... ..." Ognolinrep. "... ..." Por que 'sa cadela late tanto? Quiquié, Amélie? “...fuma charuto, usa boina, barbicha. Aí não, parece o Che. Nada contra, mas. Fuma cachimbo, carecão...” Tá latindo ainda?! Naaah. “...também é muito...” Vô terminar nunca. Quié mãe? Tá bom. Lá pras 3. Xeu terminar. "...e sobretudo amargo, impaciente. Seu nome, seu nome, seu..." Ei, volta aqui. Nsc. (O personagem toca fogo no cachimbo, gesticula um vaissifudê e se retira).

5 comentários:

Luana Rösler disse...

kkkkkkkkkkk.... muito bom!

AnaBe. disse...

rsrsrs....Gostei muito!;)

celia musilli disse...

Desliga este celular de vez...ou joga pela janela, sei lá...rss. Um bj!

Anônimo disse...

Causos diários!!!

hilárious...

thais

Anônimo disse...

Greg ! Marfsss ! Oppsss! Atch !