20/03/2009

Império da inocência

Se comprovarem que a advogada Paula Oliveira padece da síndrome de Mündchhausen, de loroteira ela passa pra pobre vítima; que fulano que furou o sinal e atropelou a velha padece de daltonismo, ele passa de homicida culposo pra pobre vítima; que beltrano que surrupiou um pacote de meias na Casas Pernambucanas padece de cleptomania, ele passa de ladrão pra pobre vítima; que o maluco austríaco Joseph Fritzl é doido porque pedofilia é doença de louco... daí vão dar a concluir que ninguém é culpado, que todos criminosos devem ser interpretados como meros portadores vitimados por alguma espécie de transtorno mental, logo seria injusto puni-los com uma pena privativa de liberdade (cadeia). Eu, hein!

3 comentários:

Felipe da Fonseca disse...

Porra, do caralho! puta-que-pariu!

Não sou chulo, é que sofro de Tourette.

Giovani Iemini disse...

hehehe.

Sue disse...

Voltou alfinetando como sempre. Pena de nós? deusmelibre... Pobres vítimas. Paupérrimas... Aliás, sem dinheiro pro cigarro. Me traz um?

*=