29/04/2008

Judiciário, povo, polícia e mídia por conta: quem diz mais lorotas?

Pai e madrasta de Isabella Nardoni – aleluia! – enfrentam o tribunal do júri. A parte acusatória inicia o teatro. A defesa rezinga. A acusação pede réplica, a defesa tréplica e uma Perrier quando, de súbito, Mike Enslin invade de súcia o local. Decorridos 14 anos e 8 meses da morte brutal de Isabella, Enslin – uma ideal treta entre escritor bestisselerado, perito e caça-fantasmas cético pra dedéu (que nem mesmo Stephen King seria competente o bastante pra inventar!) – esbraveja que havia adentrado o apartamento dos Nardoni e ali ter deslindado o crime: contatou o espírito da criança, a qual lhe relatou a verdade, apesar de ele não se preocupar se ela era mesmo real ou, caso o fosse, se lhe confiava a dura realidade sobre si própria. Enslin também não media comoção diante do "caso Isabella", ainda mais por ter perdido sua única filha, embora não de forma tão horrenda. Todos os presentes se agitam, acotovelando-se. O magistrado solicita aos policiais a retirada de Enslin e demais manifestantes, depois repassa a papelada, num gesto que parte a cena ao meio, ao escrevente. Longe dali, doutro lado da cidade, a população clama por justiça, instalados na porta da casa do suposto inventor de cercas de segurança pra janelas. O magistrado exige silêncio, sacudindo a sentença. A patota do MST continua a quebradeira, e sequer ouve o juiz finalizar que os acusados Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram absolvidos de todos os crimes a eles imputados (W.O.). A defesa comemora. Estoura o champagne. Outros acertam as apostas, como na Bovespa. Repórteres da Record comentam novamente a estupenda tese da defesa, a qual insistia que a vítima, pendurada na janela de seu quarto, a observar o acelerado vaivém dos carros e transeuntes na noite de Domingo, desequilibrou-se com o abalo de 5,2 na escala Richter, de sorte que a cerca não suportou seu peso, cedeu, e por fim ela despencou. A acusação, depois do trauma da derrota sofrida, clinica com Marcelo do BBB8, o psiquiatra mais descolado do momento. Enslin contesta, diz "não pode ser, a menina suicidou; ela mesma apareceu garantindo isso, e criança não mente! ...se matou porque o pai não quis lhe comprar Danoninho naquele supermercado – onde já se viu alguém cometer tamanha crueldade com uma menininha?" Suzane Richthofen, atual apresentadora do SuperPop, divulga: "Não percam! Excursão pro apê de Isabella. Saída: 12 de Outubro. (...) O Panamericano parcela em até 12 vezes". (...) Fátima Bernardes anuncia: "Terremoto pega pena máxima".

8 comentários:

SAMANTHA ABREU disse...

Pois no tribunal do júri teríamos esse teatro armado, enquanto, hoje, o que vemos, de fato, em matéria de de arte nesse assunto é apenas a circense. Só falta o nariz vermelho da Fátima (porque o meu já tá aqui comigo).
Ótima sacada do Enslin. O cara deve estar até hoje psicografando (há!) a confissão da garota: "sim, me joguei porque essa madrasta é uma vaca, mas a culpa é do cara que botou as grades na janela... eu queria só ameaçar".
Okey, são só alguns anos. Enslin já vai estar caquético, os magistrados mancos e os jurados surdos. Qual o problema? Pelo menos teremos nos 'distraído' por algumas semanas, meses...
E, também, qual o problema de tantas garotinhas morrerem estupradas, espancadas e assassinadas pelos próprios pais em favelas, aterros e eteceteras, quando a Fátima decide falar de apenas uma? Não é, minha gente?!
Que diferença faz uma boa baderna!

Texto ótimo. Irônico, cínico, debochado. Faz a realidade parecer ficção, pra gente poder ver o quanto de ridículos temos. Tuas referências concedem viagens (tive até aquela que te contei, que já virou paranóia). Mas é bom demais da conta.

Beijo-te-beijo

Luciane Oliveira disse...

Adorei a nova apresentadora do Super Pop. É, a coisa é bem por aí mesmo. Texto como sempre pra lá de desconcertante. Tinha q ser Ricardo Wagner. Rs

Cássio Amaral disse...

Citações bem feitas e links bem construídos.

Acho que o traveco do Ronaldo Fenomeno também vai querer essa excursão aí pros Nardoni com ele.

liberté disse...

Quero um pacote para esse barraco!
Ei, ricardo belzinha ?
linkei vc no meu blog

Robson disse...

cara e aí bebendo muito gostária de testar qualquer hora se beber mal como o cassio amaral vou te deixar dormir na mesa do bar mas falando brinquedo como vai ser vem pra bienal tu é muito bom pra se matar por nada vamos fazer raiva nos filhos das putas ???

Linda Graal disse...

bravo!
dono meu e de todas as estórias, ainda bem que moramos longe do desmazelo vil...estamos no centro da desfiguração e aqui cabem todas as menores pernas...

excelente!

besos

NanaUndead disse...

"Fager".

Felipe F. disse...

bem, as lorotas ficam por conta dos blogueiros ("blog" soa como a onomatopéia de uma bisnaga densa e fumegante de bosta mergulhando na privada. repúdio.) - brilhantes, aliás, uma vez que orwell e huxley e outros prenunciadores dos novos tempos viraram pó. depois de bolor, claro. ótimo. e ignore - sutilmente tocado pela beatitude etílica.

abç.